Flores da vida real
by Ed Motta

Flores da vida real
Ed Motta

(Ed Motta / Chico Amaral)

Vênus dançando a olho nu
Titubeei pensando em ti
Muito queria te ver

Mil longas noites de paixão
Redondas curvas juvenis
Tardes morenas do céu
Do desejo

Repetir o trajeto
Pra levar o meu amor
Na vila, na vida, lá
Na fonte da redenção

Repetir o brinquedo
No sobrado de Iaiá
Na vila, na vida, lá
No antro da perdição
Mas ouça você
Quero dizer
Deixa ficar
Tarde demais

Vênus dançando a olho nu
Habituei me acolher
Flores da vida real

Jogos febris da sedução
Nas ondas turvas dos quadris
Subúrbios do coração
Solitude

6 days ago · 110 plays · 3 notes

Pôxa
by Gilson de Souza

Pôxa
Gilson de Souza

(Gilson de Souza)

Pôxa, 
Como foi bacana te encontrar de novo
Curtindo um samba junto com meu povo
Você não sabe como eu acho bom

Eu te falei que você não ficava nem uma semana
Longe desse poeta que tanto te ama
Longe da batucada e do meu amor

Pôxa, 
Por que você não pára pra pensar um pouco?
Não vê que é motivo de um poeta louco
Que quer o teu amor pra te fazer canção

Pôxa, 
Não entre nessa de mudar de assunto
Não vê como é gostoso a gente ficar junto
Mulher o teu lugar é no meu coração

1 week ago · 94 plays · 15 notes

Funk dos Bromânticos
by Lucas Santtana

Funk dos Bromânticos
Lucas Santtana

(Lucas Santtana)

Ele beija ela
Ela beija ele

Mas se rolar um clima
Ele beija ele
Ela beija ela

Para eles o amor é livre

Ela não é gay
Ele não é viado
E não são mais classificados

1 week ago · 72 plays · 5 notes

Por quê?
by Anelis Assumpção

Por quê?
Anelis Assumpção

(Anelis Assumpção)

Por quê que a gente fica esperando?
Por quê que a gente espera?
O que que a gente fica esperando?
Por quem?

Eu não vou mais mentir
Não vou enganar
Não vou disfarçar
Que eu estava sim
Esperando

Depois você chegou
E nem demorou tanto
Mas eu continuo ali
Esperando
Por quê?

1 week ago · 130 plays · 5 notes

Eu vou ter saudades
by O Terno

Eu vou ter saudades
O Terno

(Martim Bernardes)

É, você foi embora
Não entendi bem na hora
Me vi sozinho agora
Eu vou ter saudades de você

Juntos por todo esse tempo
Às vezes eu me lamento
Eu fui feliz do seu lado
Eu vou ter saudades de você

De madrugada na cama
Vejo que não adianta
Querer esquecer quem se ama
Eu vou ter saudades de você

1 week ago · 134 plays · 11 notes

Pra comer
by Romulo Fróes

Pra comer
Rômulo Fróes

(Rômulo Fróes / Clima)

Vou fazendo a curva devagar
Lá de cima a carne é quase azul
Nós não temos fome
Nós sabemos ver
O que há de bom pra se comer

Vou sobrevoando a multidão
Lá de cima o lixo é um corpo só
Nós não temos pressa
Nós sabemos ver
O que há de bom pra se comer

Pra comer
Se lamber
E voar
Pro sol

1 week ago · 78 plays · 3 notes

Babel
by Arrigo Barnabé, Lívia Nestrovski e Luiz Tatit

Babel
Arrigo Barnabé, Lívia Nestrovski e Luiz Tatit

(Arrigo Barnabé / Luiz Tatit)

A noite não chegou
O tigre na floresta se intrigou
A Terra não girou
E quem faria festa cancelou

O jogo daquela tarde
Não teve gol
O mito da eternidade
Ruiu, micou

Desabou o dominó
Cada um cada vez
Provocou quiproquó
Complicou deu um nó
Quem que foi? Quem que fez?
Triplicou o trololó

Bacanal babel
Desce do céu desce do céu!
Carnaval cordão
Sai desse chão sai desse chão!

Homem-rã, homem nu guru
Muito homem-bomba
Mais auê, mais angu banzé
Tipo surumbamba

Ser humano deu chabu
Foi crescendo errado
Ser humano é um tabu
É um perigo sagrado

E a noite não chegava
E não chegou
Que aconteceu?
A noite não chegou
O tigre na floresta se intrigou
A Terra não girava
E não girou
Que aconteceu?
A Terra não girou
E quem faria festa cancelou

Ser humano é tudo igual
É bem bom mas é falho
Ser humano é cerebral
Cerebral, o caralho!

3 weeks ago · 140 plays · 8 notes

Olho por olho
by Beth Carvalho

Olho por olho
Beth Carvalho

(Daniel Santos / Zé do Maranhão)

A justiça dos homens
Condena a bigamia
Nenhuma mulher pode ter dois Josés
Nenhum homem ter duas Marias (por isso)

Dente por dente
Olho por olho
Se tentar me enganar
Bota a barba de molho (eu falei)

Você que se diz malandro
Malandro você não é
Porque não existe homem malandro pra mulher

Você já fez a primeira
Mas a segunda não faz
A partir de hoje os direitos são iguais (eu falei)

Dente por dente
Olho por olho
Se tentar me enganar
Bota a barba de molho (eu falei)

Diz o velho ditado
Com muita sabedoria
Gato escaldado sente medo de água fria

Meu amor vê se manera
Não é hora de brigar
Dançou fora do compasso eu pra lá você pra cá (e por isso)

Dente por dente
Olho por olho
Se tentar me enganar
Bota a barba de molho (eu falei)
dução:

A justiça dos homens
Condena a bigamia
Nenhuma mulher pode ter dois Josés
Nenhum homem ter duas Marias (por isso)

Dente por dente
Olho por olho
Se tentar me enganar
Bota a barba de molho (eu falei)

Você que se diz malandro
Malandro você não é
Porque não existe homem malandro pra mulher

Você já fez a primeira
Mas a segunda não faz
A partir de hoje os direitos são iguais (eu falei)

Dente por dente
Olho por olho
Se tentar me enganar
Bota a barba de molho (eu falei)

Diz o velho ditado
Com muita sabedoria
Gato escaldado sente medo de água fria

Meu amor vê se manera
Não é hora de brigar
Dançou fora do compasso eu pra lá você pra cá (e por isso)

Dente por dente
Olho por olho
Se tentar me enganar
Bota a barba de molho (eu falei)

2 months ago · 299 plays · 16 notes

À Nível de Masp
by ½ Dúzia de 3 ou 4

À nível de MASP
½ Dúzia de 3 ou 4

(Daniel Carezzato / Marcos Mesquita / MDC Suingue / Thiago Melo)

Abaixo do nível do MASP tem crack
Acima do nível do MASP tem arte
mas no meio do vão tem samba
no meio do vão…

Cabe a menina que dança descalça
cabe um pandeiro e uma mala sem alça
cabe a morena que toca tambor
a madame e o poodle
e o pouco pudor

Cabe a velhinha que transa maconha
o uruguaio que toca zamponha
cabe o michê, o padre, o pastor
cabe o amor e o seu Doutor

Cabe Degas, Manet e Matisse
Doctor Who, Kandinski
e quem disse que não cabe Picasso, Escobar e Neruda
o hippie e o epox
a teta e os truta
cabe o coxinha maroto
o quadradinho de 8
o manifesto do destro canhoto
democracia é dislexia

Gênio é o cara que inventou o lacrimogênio é o cara que inventou…
- Soque não, seu doutor!

3 months ago · 293 plays · 13 notes

Polícia
by Mercenárias

Polícia
Mercenárias

(Sandra Coutinho / Rosália Munhoz / Ana Maria Machado)

a polícia vem, a polícia vai
a polícia vem, a polícia vai

pelas ruas da cidade (polícia vai)
pelas ruas da cidade (polícia vai)
pelas ruas do subúrbio (polícia vai)
com toda velocidade

vai matar assaltante
vai pedir os documentos

a polícia vem, a polícia vai
a polícia vem, a polícia vai

onde não é chamada (polícia vai)
onde não é chamada (polícia vai)
onde não é chamada (polícia vai)
onde não é chamada ela vai também!

3 months ago · 211 plays · 9 notes

Ziggy Stardust
by Seu Jorge

Ziggy Stardust
Seu Jorge

(David Bowie - Seu Jorge)

Eu não sei pintar 
Eu não vi o seu filme 
Não sou de jogar 
Não bebo em pé 
Não freqüento bar 
Assim me sinto bem 
Não devo a ninguém

Eu não vou mudar 
Vou ficar com meu time 
Não vou misturar 
Cachaça e café 
Só pra te agradar 
Assim me sinto bem 
Não devo a ninguém

Meu instinto não falha 
Nega baixa essa saia 
Gente assim se atrapalha 
Eu já quase morri de fome mas eu hoje estou bem

3 months ago · 553 plays · 54 notes

Gigante gentil
by Erasmo Carlos

Gigante gentil
Erasmo Carlos

(Erasmo Carlos)

Dizem por aí que eu tenho cara de bandido 
E que mastigo abelha só pra degustar o mel 
Que eu faço tipo cafajeste, de um gigante bruto 
Que eu sou o espinho do caroço que sobrou do fruto 

Só que eu não posso com a peneira o sol tapar 
E pelas curvas da ironia derrapar 
Oferecer a outra face, nem pensar 
Já que um leão por dia eu tenho que matar 

Mesmo hostil qualquer gigante pode ser 
Gentil

Mas quando dizem que o gigante é um morto-vivo 
Perdido como um bicho sem carona no dilúvio 
Me assusto com o olho podre que vê ele assim 
Detonam o gigante e o estilhaço pega em mim 

Só que eu não posso com a peneira o sol tapar 
E pelas curvas da ironia derrapar 
Oferecer a outra face, nem pensar 
Já que um leão por dia eu tenho que matar 

Mesmo hostil qualquer gigante pode ser 
Gentil

3 months ago · 189 plays · 13 notes

Nina
by Memórias de um Caramujo

Nina
Memórias de um Caramujo

(André Vac)

Dorme, dorme minha querida 
Pois tudo tá tão tranquilo 
Pode sonhar sossegada 
Monstro também está dormindo 

Mas se o monstro acorda 
Você sabe muito bem que é melhor fugir 
Fica tudo tão estranho, tudo tenebroso 
Todo mundo sabe que o monstro vai levar você 
Para muito longe daqui 
Vai esconder os seus brinquedos 
E depois te transformar em um caqui 
E os seus irmãos ele vai transformar 
Em mexerica e kiwi 

Vai pegar uma cumbuca 
Para preparar salada de fruta 
Mas o seu irmão, que é muito bom de luta 
Vai pegar um gomo do irmão mexerica 
Pra jogar na cara do monstro 
Que agora já perdeu a 

Calma, filha, é brincadeira 
Sorte que cê tá dormindo 
Se sua mãe me pega falando essas coisas 
Nossa, acho que eu tô frito 

Mas já pensou se sua mãe fosse uma bruxa 
Disfarçada de sua mãe? 
Com uma verruga preta 
E um chapéu pontudo 
Todo mundo sabe que ela vai voar numa vassoura 
E te prender em um porão 
Vai pegar você e os seus irmãos 
E jogar num enorme caldeirão 

Vai fazer uma poção 
Com asa de barata e pelo de gato 
Mas o seu irmão, que é muito bom de papo 
Vai dizer que é o filho do conde Drácula 
E que seu melhor amigo é o Peter Pan 
E que é melhor fugir, se não quiser encrenca com a Terra do 

Nunca, que eu diria isso 
Sua mãe não é uma bruxa 
Ela tá muito mais pra um branca de neve 
Só que mais enxuta 
E enquanto você dorme eu penso 
Como será sua vida, daqui, sei lá, uns vinte e cinco anos? 
Será que você vai ter uns quinze filhos 
Que eu vou ter que sustentar 
Mas que injusto! 
Justo eu que custo a ter algum dinheiro 
Filha, eu sou músico! 
Que que te deu na cabeça pra ter quinze filhos 
Podia muito bem ser um ou dois ou três, até nenhum 
Seria tão 

Melhor parar de viajar 
Cê pode ter quantos filhos você quiser 
Sei que você vai ser responsável 
E de quebra uma bela mulher 

E às vezes, filha, eu penso 
Que eu to é com muito medo 
De quando você ficar mais velha 
E quiser sair de casa 
Porque não consegue mais me aguentar 
Vai me abandonar 
Se bem que eu acho que até que vai demorar 

A não ser que você seja dessas rebeldes, sem planos 
Vivendo em meio a subterrâneos seres urbanos 
Isso sem nem ter completado sete anos! 
Fica mais tranquila, filha 
Acho que eu nem vou te mostrar meus discos do Dylan 
Se não cê vai ter umas ideias loucas 
Vai sair andando pelas ruas e becos 
Com as roupas velhas da sua mãe que você não aguenta 
Pensando que vive nos anos sessenta 
Filha, é outro momento 

Não é que eu não goste de rock, 
Eu respeito 
Se você me disser que gosta de rap 
Eu aceito 
Só estou utilizando meu direito paterno 
De te privar de certas coisas que eu acho um inferno 
Não é que eu seja contra o que é moderno 
Mas você já viu o que tem no mercado? 
É tudo fabricado, falso minha 

Nossa, calma não é pra tanto 
Pode esquecer tudo isso 
Minha cabeça às vezes voa longe 
E o pensamento vira do avesso 

Mas já pensou se bem agora você acorda 
Filha, o que será de mim? 
Sua mãe vai acordar também e os seus irmãos 
E todo mundo sabe que ela vai gritar como uma louca 
E vai sobrar tudo pra mim 
Vai dizer que “nem pra olhar você dormindo eu sirvo” 
Esse será meu fim 

Vai expor os meus defeitos 
E vai me deixar ali todo sem jeito 
Mas como é que eu explico que eu não sou culpado 
É só que as vezes eu sonho acordado 
Mas o seu irmão, que tava ali calado 
Vai ver minha cara de desesperado 
E vai dizer 
"Mãe, porque ficar gritando e ficar discutindo se a sua filha agora tá sorrindo?"

3 months ago · 249 plays · 14 notes

Schafran
by Muni

Schafran
Muni e Nico Nicolaiewsky

(Nico Nicolaiewsky)

A rosa no sofá
A marca de batom
O samba do Jobim
Ó lua de neon
O site na internet
Os filmes do Van Damme
O barco vai partir
Nas luzes da manhã
Preciso te entender
Desejo te matar
É hora de sorrir
O dia vai raiar
Os filmes do Van Damme
Os quadros do Dali
Nas luzes da manhã
É hora de partir

Eu corro pra ajudar
São Jorge no dragão
São Jorge no dragão
Perfume da Chanel
Perfume da Chanel
Os filmes do Truffaut
Os textos do Jabor
O samba do Noel
O samba do Noel
O papo do Duzek
O papo do Duzek
Cachorro do schafran
Cachorro no schafran
Conversa no Joel
Conversa no Joel
Nas luzes da manhã

Preciso te entender
Desejo te matar
É hora de sorrir
O dia vai raiar
Os filmes do Van Damme
Os quadros do Dali
Nas luzes da manhã
É hora de partir

Eu corro pra ajudar
São Jorge no dragão
São Jorge no dragão
Perfume da Chanel
Perfume da Chanel
Os filmes do Truffaut
Os textos do Jabor
O samba do Noel
O samba do Noel
O papo do Duzek
O papo do Duzek
Cachorro no schafran
A rosa no sofá
Perfume de mulher
Os textos do Jabor
Os gols do rei Pelé

Preciso te entender
Desejo te matar
Ó lua de neon
Ó site na internet
Ó filme do Van Damme
Ó Jorge no dragão

Toda noite a mesma dança

3 months ago · 249 plays · 5 notes

Soluços
by Zezé Motta

Soluços
Zezé Motta

(Jards Macalé)

Quando você me encontrar
Não fale comigo, não olhe pra mim
Eu posso chorar

E quando eu choro eu tenho soluços
E os soluços estragam minha garganta
E além disso eu uso lenços de papel
Eles se desfazem quando molham
Meus olhos ficam vermelhos e irritados
Eu ainda não comprei meus óculos escuros

4 months ago · 259 plays · 5 notes